A B C

D E F

G H I

J K L

M N O

P Q R

S T U

V W X

Y Z

 << Voltar
Glossário:

A:
Alquebramento: Curvatura no casco, baseando-se pelas cintas.

Amantilho: Cabo que serve para puxar algo para cima, a partir dos mastros.

Amura: Parte dos costado dos navios, onde começa o estreitamento para formar a proa.

Ancôra: Peça de metal forjado (ou madeira com pedras) em forma de garfo ou anzol que é atirado ao fundo para fixar o navio em determinado ponto.

Antena: Verga onde se içam as velas nos barcos latinos.

Aparelho: Conjunto de velas, amarrações, e mastros de um navio.

Apostura: Extremo superior da baliza que sobressai à coberta.

Arrufo: Linha curva imaginária que vai da popa à proa. Essa linha serve de base para a coberta e cinta.

B:
Baliza: Peça que é armada sobre a quilha, estendendo-se verticalmente à linha d'água. É composta da caverna e do vau. As Balizas e a quilha formam a ossada de um navio.

Baliza Mestra: Maior baliza de um navio. Nesse ponto, o navio atinge o comprimento da boca.

Barlavento: Parte ou direção de onde vem o vento.

Boca: Largura máxima de um barco.

Bonete: Vela que se coloca a parte baixa da vela grande ou ao traquete, para aumentar a superfície vélica com pouco vento.

Botaló: Peça que fica no gurupés para içar as velas de proa.

Bordo livre: Distância entre a linha de carga máxima e a coberta princial de uma navio.

Borla: Parte grossa e arredondada que fica extremidade dos mastros.

Braçola: Saliência nas escotilhas com a finalidade de evitar que a água entre pela mesma.

Bujarrona: Vela triangular situada na proa que se alarga nos estais.

C:
Cadeste: Peça que sustenta a pá do leme.

Calado: Distância vertical da quilha até a linha d'água. Profundidade mínima onde um barco pode navegar.

Calafetado: Trabalho de impermeabilização, feito por meio de estopa e alcatrão.

Carangueja: Vela de forma trapezoidal, onde sua verga fica unida ao mastro de forma diagonal e que sua testa externa (não ligada ao mastro) seja maior que a interna.

Carlinga: Suporte-base onde se fixa o mastro na sobrequilha.

Caverna: Peça curva de uma baliza que, todas unidas, dão forma ao casco.

Casco: Corpo de um navio, sem contar aparelho ou maquinário.

Castelo: Parte da coberta superior compreendida entre o traquete e a proa; Estruturas situadas na popa e na proa que serviam de alojamento.

Cevadeira: Verga que fica no gurupés.

Cinta: Fila de madeiras que fica exterior ao barco, de popa à proa que ajudam a reforçar e fixar os vaus e as cavernas.

Coberta: Cada um dos pisos de um navio.

Contrabujarrona: Vela que fica sobre a bujarrona.

Contramezena: Vela que fica sobre a mezena.

Cotovelo: Qualquer ângulo reto ou obtuso de uma tábua. Particularmente as estremidades da quilha e o cadaste.

Coxia: Parte central de um barco, de popa a proa.

Cruzeta: Peças de ferro ou madeira que ficavam abaixo do cesto da gávea ou nas ligações entre mastros e mastaréus e servem para fixar os óvens.

Cutelo; Vela de: Vela triangular ou trapezoidal que se envergam em um estai ou carangueja. Ao contrário das velas latinas ou quadradas, estas não são vergadas a partir de sua parte central.

D:
Deslocamento: É o peso de água correspondente ao volume do casco que fica abaixo da linha d'água. Pode ser associado ao peso que um navio pode transportar.

E:
Empavesado: Proteção que se colocava às laterais da coberta superior.

Enfrechate: Cada um dos degraus da enxárcia.

Entre-Mastros; Vela: Qualquer vela de cutelo que é içada entre dois mastros de um navio.

Enxárcia: Escada feita de cordas e madeira, que serve para se subir pelo aparelho. É composto dos enfrechates e pelos óvens.

Escorbuto: Doença comum nas grandes navegações, causada pela falta de vitamina C. Os principais sintomas eram as hemorragias cutâneas e musculares.

Espadela: Espécie de remo que fica na para governar o barco. É considerado o antecessor do leme.

Estai: Cabo que segura a cabeça de mastros e Mastaréus, para que não caia para a popa.

Estai; Vela de: Mesmo que giba.

Esteira: Parte inferior de uma vela.

Estibordo: Lado direito do navio, olhando-se da popa para a proa.

F:
G:
Galdopre: Corrente que transmite os movimentos à pá do leme.

Gávea: Nome dado a qualquer vela que se aparelha no primeiro Mastaréu.

Gavetope: Vela triangular que liga a parte superior da vela carangueja ao mastro, dado uma forma quase triangular ao conjunto.

Gênova: Vela de proa cujo o punho da escota se caça muito à popa do mastro. Ela cobre parte da grande por sotavento.

Giba: Vela triangular menor que a bujarrona, que se iça na parte superior do mastaréu do joanete da proa.

Grande: Nome dado a vela que fica no mastro principal.

Gurupés: Mastro que sai da proa na direção do eixo longitudinal do navio.

Gurutil: Lado pelo qual se prende uma vela.

H:
I:
J:
Joanete: Mastaréu que esta imediatamente sobre a gávea. Também é o nome dado as suas velas e vergas.

K:
L:
Lançamento: Distância entre popa e proa nos pontos onde estas tocam a linha d'água.

Latina; vela: Qualquer tipo de vela de forma trapezoidal ou triangular que é mastreada em sua porção média (central) e que faz diagonal com a linha d'água.

M:
Madeiramento: Tábuas que fazem o forro exterior e as cobertas de uma embracação.

Marconi; vela de: Vela triangular, apoiada no mastáreu e na parte baixa em uma verga que se encaixa no mesmo mastáreu, no sentido da popa. Embora seja trinagular, seu lado livre tem formato arredondado.

Massame: Conjunto de cabos e cordas de um navio.

Mastaréu: Mastro menor que se coloca verticalmente sobre os mastros grandes, dando continuidade a sua estrutura.

Meia-baliza: Cada uma das laterais da baliza. Meia-nau: Comprimento de um barco de popa a proa.

Mezena: Último mastro de um navio, contando-se a partir da proa. Também se dá o nome de mezena a vela que fica nesse mastro.

N:
Nó: Medida de velocidade; equivalênte a 1852 m/h ou 1 milha-náutica por hora.

Superfícies móveis de madeira, em geral laterais ao casco, que serve para evitar o desvio de rumo causado por ventos.

O:
Obra Morta: Nome dado a parte do casco que fica acima da linha d'água.

Obra Viva: Nome dado a parte do casco que fica abaixo da linha d'água.

Orça: Superfícies móveis de madeira, em geral laterais ao casco, que serve para evitar o desvio de rumo causado por ventos.

Óven: Cabos verticais que compõe a enxárcia.

P:
Pavesado: Proteção feita de escudos nas amuradas.

Pendão; Vela de: Misto de vela latina e quadrada. Sua verga é inclinada como a vela latina, mas seu comprimento na parte menor é mais longo, tendo uma forma mais trapezoidal que triangular.

Polaca; Vela: Vela triangular apoiada por uma verga inferior, ficando à frente do traquete.

Pontal: diferença de altura entre a parte mais alta da quilha e a altura do ponto onde fica boca.

Ponte: Mesmo que coberta.

Popa: Parte traseira de um barco.

Portinhola: Abertura ou janela no costado. Serve para ventilação ou para avançar os canhões externamente.

Proa: Parte dianteira de um barco.

Proa; vela de: Velas de cutelo que são montadas nos estais da proa.

Q:
Quadrada; vela: Velas de forma retangular ou trapezoidal (isóceles).

Quilha: Grande peça de madeira, ferro ou aço, da popa à proa, passando pela parte inferior do barco. Sobre ela são armadas todas as estruturas do casco.

R:
Relinga: Cabo que se costura ao redor das ourelas das velas, para reforço.

Retranca: Verga incorporada no mastro, por uma de suas extremidades, onde se enverga a esteira de uma vela.

Roda: Peça Grossa e curva que dá forma à proa do barco.

S:
Salto: Qualquer parte da coberta que esteja mais elevada.

Sentina: Parte mais baixa do interior do navio. Onde toda água se deposita em caso de aberturas.

Sobrequilha: Parte de cima da péca da quilha.

Sotavento: Parte oposta em relação a direção do vento.

T:
Traquete: Nome dado ao mastro de proa nas embarcações com dois ou três mastros.

Trirreme: Barco antigo movido a remos, com três fileiras de remadores.

Thalamian: Termo grego dado à fileira de remos inferior de uma trirreme.

Thranite: Termo grego dado à fileira de remos superior de uma trirreme.

Testa: Lado da vela que liga a esteira ao gurutil.

U:
V:
Vau: Peça de forma reta ou ligeiramente arqueada, que colocada transversalmente entre pontos simétricos da caverna, dão sustentação a coberta.

Vaso: Denominação geral do casco de um navio.

Velacho: Gávea do mastro traquete.

Velame: Conjunto de velas de um navio.

Verga: Vara de madeira que se coloca no mastro (de forma perpendicular ou diagonal) para se prender as velas quadradas ou latinas.

Vogar: O mesmo que remar.

W:
X:
Y:
Z:
Zygian: Termo grego dado a fileira de remos intermediária de uma trirreme.

Cabo que serve para puxa algo para cima, a partir dos mastros.


Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1024x768
Eventos Agendados
Julho
S T Q Q S S D
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 2627
28 29 30 31      

Agosto
S T Q Q S S D
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 2324
25 26 27 28 29 3031