A quem se destina

  Árvores I

  Árvores II

  Árvores III

  Bases para Aviões I

  Bases para Aviões II

  Bases para Militaria

  Estruturas p/ Militaria

  Diorama de Selva

  Ferrugem

  Dicas de Fotos

  Relevos de Mar - I

  Relevos de Mar - II

  Dioramas Originais

  Em Andamento...

  Outros Sites

 <<Voltar
Simulando Ferrugem

Como modelistas, um do nossos objetivos é duplicar o mundo real tão perfeitamente quanto possível. Com esse fim, nós tentamos usar materiais que imitem o que estamos modelando (madeira em escala para madeira real, etc).

Alguns modelistas vão tão longe que fabricam painéis de alumínio ou latão. Outros, em especial modelistas de dioramas, também criam telhados, telas e outras partes de metal. Esses componentes podem ser envelhecidos usando técnicas convencionais, mas aqui está uma técnica para criar corrosão real, em metal real.

O conceito é simples: Quando exposto às forcas da natureza, o metal irá enferrujar em um período de tempo. Ele irá oxidar ou descolorir, então irá apodrecer e, finalmente, desintegrar.

Nós podemos rapidamente duplicar esse processo mergulhando compomenetes metálicos em produtos para corroer placas de circuito impresso. Tecnicamente, esse material é o percloreto de ferro, que é usado na indústria de eletrônicos para criar placas de circuito impresso. Esse material também corrói alumínio e latão, o que o torna ideal para nossos propósitos.

Como você verá, alumínio e latáo reagem diferente ao percloreto de ferro. Embora a substância perca sua eficiência quando dilu[ida em água, é importante consultar as leis municipais referentes ao recolhimento dos dejetos.

Como toda técnica que utiliza solventes ou materiais corrosivos, esse processo requer alguns cuidados, e proteção pessoal. Sempre use proteção para os olhos, máscaras apropriadas e luvas químico-resistentes quando for trabalhar com a solução descrita nesse artigo.

Tenha a certeza de conhecer as precauções de segurança descritas do rótulo. Mantenha a substância em local apropriado e seguro quando não estiver em uso e limpe a área de qualquer parte me'talica ou equipamento que possa reagir com o corrosivo - Uma vez deixei um pouco de solvente ao lado de um par de tesouras. Quando fui procurá-las, encontrei apenas mancha enferrugada sobre a mesa, a qual precisei remover com uma espátula.

Seguindo todas os conselhos de segurança, essa técnica não é mais perigosa do que qualquer técnica de pintura.

Ferrugem e Envelhecimento

É melhor comeár pelo simples: Vamos enferrujar algumas telhas de metal corrugado. Você pode comprar os materiais prontos, ou fazer por si mesmo (o que mostraremos aqui). Essa técnica simples de ferrugem pode ser usada em qualquer peça scratchbuilt feita em metal, sejam planos ou de formados elaborados. Farei telhas corrugadas porque são divertidas de fazê-las!

1.Aqui estão os materiais básicos. Usaremos corrosivo para placas de circuito impresso; um recipiente não-metálico; um recipiente com água para neutralizar o solvente; papel absorvente para secar as partes; proteção para os olhos; luvas de borracha e máscara.

2. Para fabricar as telhas, usamos folhas de 0.25mm de alumínio, e uma formatador apropriado (disponível em lojas de modelismo). Passe as chapas no formatador e corte nos tamanhos adequados.

3. Com todo o aparato de segurança, coloque o perclorato em um recipiente de vidro ou plástico e imerja uma peça da telha de alumínio corrugado. De ínicio na acontece, mas logo aparecem pequenas bolhas na superfície metálica. O solvente provavelmente irá criar uma ~bolha~ e a peça pode flutuar. Nesse momento são liberados vapores tóxicos. Aqui sua proteção pessoal deve estar ok. Você não vai querer inalar esses produtos.

4. Deixe a peça no solvente por alguns segundos e tire a peça com pinças e neutralize o solvente em um recipiente com água. Examine a peça e repita o processo. Se você quiser apenas descolorir a peça, então deixe a mesma apenas tempo suficiente para que não comece a corrosão. Se repetir o processo, ferrugem começará a aparecer. Não existe um tempo que a peça deva ficar no solvente; esse é um processo de tentativa e erro.

5. Quando estiver satisfeito com o resultado, a peça deve ser cuidadosamente lavada para evitar que algum solvente continue agindo na mesma. Coloque a peça em papel toalha ao ar livre, e difenrentes tons de furrgem irão se formar.

6. Tipicamente, o solvente começa a comer as bordas primeiro. Para criar furos no centro da peça, você deve criar alguns furos iniciais com uma lâmina, ou aplicar o solvente em gotas, nos pontos desejados, como fiz aqui com um conta-gotas.

7. Quando totalmente seca a peça pode ser pintada ou envelhecida usando suas técnicas favoritas, caso a cor natural não satisfaça suas necessidades. Então, aplique as peças no modelo. Nesse caso, as telhas estão colocadas.

Adendo: Apó a publicação desta matéria, muita gente ficou interessada, não no processo químico, mas no fazedor de telhas acima citado. Aparentemente, essa ferramenta seria facilmente encontrada em casas especializadas, mas a prática mostrou o contrário. Não é fácil encontrar tal ferramenta (nem mesmo sei seu correto nome em inglês, para peqsuisar). Assim, se você fabrica ou sabe onde se vende tal ferramenta, entre em contato, pois ela é muito procurada.

Corrosão de painéis
O processo é muito similar, mas requer uma melhor preparação dos painéis que serão corroidos. Novamente, usaremos chapas de alumínio 0.25 mm, o qual deve ser aplicado sobre a peça original, para duplicar o formato (no caso, nas saias frontal e traseira dessa Mercury 49).

Criar chapas de painéis pode ser um processo intimidador, mas nesse caso, é permitido um certo grau de imperfeição, de modo que a precisão não é tão importante. É preciso somente que a chapa lembre vagamente o painel original.

1. Corte a chapa de alumínio e ajuste ao tamanho. Faça ajustes no formato, deixando as bordas inferiores acompanhando um pouco do formato interno, para evitar que o solvente aja sobre a borda "aparente".

2. Comece cortando o alumínio em um formato maior que o necessário para cobrir a peça e depoix fixe na carroceria e vá trabalhando a peça até a conformidade com a mesma.

3. Coloque a peça no solvente, com um suporte, mantendo a maior parte do painel fora do solvente. Isso evitará que o mesmo aja sobre toda a peça. Nesse caso, queremos que apenas a parte inferior seja corroída. Você também pode corroer a peça seletivamente, com um conta-gotas.

4. Repita o processo descrito na última seção para enferrujar toda a superfície até que o visual esteja do agrado, então lave a peça em água e deixe secar sobre papel-toalha ao ar livre.

5. Para aplicar o novo painel, nós precisamos cortar parte do estireno, para evitar que a parte do kit continue visível. Você não deve remover tudo, deixando uma base para que o painel metálico possa ser colado.

6. Para encaixar corretamente a peça, Eu uso como base a parte onde a peça encontra-se com a porta, que serve de guia para o correto posicionamento.

7. Quando estiver satisfeito com o encaixe, cole a nova peça com cianoacrilato ou cola de contato.

8. Agora você está pronto para terminar o modelo, usando técnicas preferidas. Uma camada de primer ajuda a esconder várias falhas do processo. No entanto, algumas partes podem precisar de ajustes, o que pode ser feito normalmente com putty ou lixa.

9. Mais uma Mercury foi adandonada! A maioria do teto foi substituída por alumínio enferrujado, o que também me permitiu abusar dessa técnica. Note como um galho faz cria uma separação quase invisível entre o teto e carroceria, evitando que eu precisasse fazer o trabalho em toda a carroceria.

Texto: Ken Hamilton
Tirado de: Auto Scale Magazine
Tradução:


Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1024x768
Eventos Agendados
Abril
S T Q Q S S D
  1 2 3 4 56
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        

Maio
S T Q Q S S D
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31